Buscar
  • E2 Soluções

COMPRAS PRESENCIAIS NA PANDEMIA: COMO FAZER E SE PROTEGER?


Com a pandemia do Covid-19, a economia não podia parar e para o comércio, a solução foi migrar as vendas para o mundo virtual. De acordo com a ABCOMM – Associação Brasileira de Comercio Eletrônico – mais de 135mil lojas entraram no e-commerce para continuar vendendo nos últimos 6 meses de quarentena.



Essa mudança nas vendas foi novidade para muitas lojas, todos tentaram se adaptar para oferecer promoções, acabar com estoques, lançar novidades e garantir um bom faturamento na quarentena, período que todos fizeram o possível para fugir do desemprego e da falência.


O varejo online era pouco explorado em diversas áreas, como saúde, alimentos, pet shop, mas com as adaptações que foram necessárias, cada um fez o preciso para conquistar novos clientes e mostrar segurança na compra.


Depois do relaxamento da quarenta em São Paulo, anunciado por João Doria, o comércio reabriu em junho com horário reduzido. A carga horária menor é uma forma de evitar que os funcionários fiquem muito tempo expostos e cada loja tem um limite de pessoas que é escolhido sem uma regra.

Muitas lojas optaram por funcionar com capacidade menor, medindo a temperatura dos clientes e oferecendo álcool em gel na entrada. Em caso de lojas com produtos que antigamente podiam ser testados, ficou proibido o toque em maquiagens, hidrantes, sentir a fragrância do perfume e também a prova de roupas e calçados.



Algumas lojas optaram por oferecer promoções por causa do estoque que ficou parado durante os meses da quarentena e nessas ocasiões, a quantidade de pessoas que procurou a compra física foi maior. Com isso, os cuidados também devem ser tomados para evitar aglomeração e contágio.

Todas as medidas levam em consideração que o covid-19 é transmitido também em superfícies, nas roupas, no papel e em vários tipos de materiais que encontramos no comércio. Por isso também é recomendado pagamentos no cartão, para evitar contato com notas de papel.



Os cuidados que as empresas devem tomar para proteger funcionários e clientes já são conhecidos: uso de máscara, higienização com água e sabão e/ou uso de álcool em gel, distanciamento de um metro entre cada pessoa. Mas o que mais pode ser feito? Porque muitas vezes essas medidas parecem não serem suficientes e as pessoas ficam preocupadas em arriscar sua saúde para sair de casa e fazer compras.


A E2 traz para você um mini guia de proteção para sua loja.

Confira abaixo:

1. Use divisórias de proteção entre as mesas de cada operador de caixa. A proteção também deve ser feita pensando que pode ter contaminação entre os próprios funcionários.

2. Coloque barreiras de proteção entre a área de pagamento, dividindo o espaço entre funcionário e cliente. As barreiras podem ser feitas em policarbonato, poliestireno, acrílico e vidro, garantindo que gotículas de saliva não sejam propagadas entre as pessoas durante o atendimento.

3. Espirrar álcool em gel nas mãos de cada cliente quando ele entrar na loja e deixar frascos de álcool pelo ambiente? Deixe essas opções de lado e conheça nossos totens de álcool em gel. Mais rápido e prático, o totem evita o acumulo de bactérias na embalagem que seria compartilhada anteriormente e ainda garante economia de produto com um design exclusivo.


Quer conhecer nossos produtos e descobrir como eles podem proteger seus clientes e funcionários? Entre em contato com a E2 para fazer o orçamento do seu projeto.




Endereço: Rua Castilho, 392/ 9ºandar  - Brooklin Paulista- SP
São Paulo/Brasil       Telefone: +55 11 2541-8587 Ramal 8587

© 2020 Por Aira Maximo Designer 

  • Facebook
  • Instagram